A ida de Raul Jungmann à Guiana, bem como ao Suriname, é um recado de que o Brasil não vai tolerar a agressão de Maduro contra qualquer país vizinho.

Procurado, o ministro da Defesa evitou falar sobre o assunto. Mas fontes militares disseram que “a chapa está quente”.

Fonte:  O Antagonista